Curta

8 de dez de 2010

Era uma vez um Show.

A semana foi longa...

O trabalho estava uma loucura. 

Ah! Não contei? Consegui uma vaga de vendedora em uma loja de roupas devido ao fim de ano e ao aumento nas vendas e tudo o que você já está cansada de saber, pois sempre acontece igual.

Seu décimo terceiro já foi pro espaço, seu cartão de crédito no limite, o cheque especial já virou orbital, mas você continua firme e forte com os planos de compras do final do ano, não é?

Assim como você, milhares continuam e por isso estou lá, trabalhando temporariamente - planejando efetivamente. Afinal, tenho um filho para criar!

Agora deve estar passando por sua cabeça:

- Puts, ela vai experimentar todas as roupas, como fez com os sapatos na loja de calçados.

Eu juro que não!

Nem é porque fiquei traumatizada com a história da loja de sapatos e porque poderia ser sumariamente despedida se me pegassem provando todas as roupas e eu estou desesperada por ser contratada para além do Natal.

A verdade nua e crua é que eu só não experimento as roupas porque a loja é infantil e é bem difícil eu caber em qualquer uma das peças lá expostas.

Estou pensando seriamente em levar algumas para que Lipe possa provar...

Voltando à semana:

Terça-feira, depois do trabalho, eu tive que levar meu pimpolho ao pronto socorro pediátrico, pois quando cheguei encontrei-o ardendo em febre. 

Quarta-feira cheguei do trabalho e passei a madrugada entre toalhas molhadas, termômetros e antitérmicos.

Quinta? Não! Ele passou a noite e o dia sem febre. Nem chegou a ficar em “estado febril”.

Comemorei, já que poderia comprar o ingresso daquele show maravilhoso que tanto queria ir e só estava esperando cair uma graninha na conta para poder debitar no cartão (o crédito tá estourado).

Liguei para o Renato e convidei para me acompanhar. Ele aceitou na hora.

Renato é o porteiro da escolinha.

Lembra que eu disse que, quando voltasse lá, iria reparar melhor no porteiro?

Sábado chegou prometendo novidades.

Adoro novidades, reparou?

Ingresso comprado para a melhor banda do mundo, unhas coloridas, cabelo pintado, roupinha descolada, companhia garantida e quem sabe, de quebra, um pai para o meu rebento!?

Pois bem, estou aqui compartilhando a vida de uma mãe soleira, não é? E se quero fazer isso de maneira honesta, sinto-me na obrigação de dizer que as flores, às vezes, murcham (inclusive as de plástico).

Estava lá, lépida e faceira, terminando de me aprontar e passando a lista de recomendações sobre cuidados com Lipe, quando, do nada, febrão de novo.

Fazer o que?

Vida de mãe é assim: filho doente e show com o candidato a pai não dialogam.

Se você conseguiu estabelecer uma comunicação eficiente entre “filho doente” e “saída garantida para a balada” escreve contando pra gente compartilhar com todas. Esses feitos grandiosos devem ser espalhados, divulgados, difundidos!

Resumo da ópera, quer dizer, do show: eu liguei pro Renato, informando que nossos planos haviam mudado e que não iríamos mais ao show. Passaríamos a noite de sábado lá no pronto socorro do hospital pediátrico.

Acredita que ele me deu o bolo? Simplesmente não apareceu na hora marcada!

Fiquei muito, muito, muito indignada.

Onde já se viu querer assumir o posto vago e não nos acompanhar ao médico? Não pode! Do pronto socorro mesmo, liguei e acabei tudo.

Agora não me resta mais nada a fazer, a não ser pensar:

Bom, cargo vago? De volta à caça!



6 comentários:

  1. caralho,vc nem dá a sua buceta e já vai pedindo pro cara ficar com o seu melequento?Bota uma coisa na sua cabeça,homem que é homem não gosta de cuidar do espermas(filho) dos outros.Eu queria te fazer uma pergunta,vc quer um homem que esteja do lado do seu filho no hospital,mas se ele for dar umas paumadinhas comum que todo pai de respeito dá,vc mesmo iria dizer olha não faz isso que ele não é seu filho!Porra me faça um favor,não venha culpar nós homens da vadiagem de vcs quando eram novas,foi transar com marginal,homem fdp na sua juventude o problema é de vcs,os únicos que eu tenho pena é da criança que não merecem uma mãe como vcs e do otário disposto a sustentar esperma dos outros(ops filhos dos outros).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que absurdo, a mulher já foi arrombada por um cafajeste é mãe solteira, nem emprego fixo tem, sai atirando pra tudo que é lado tentando arrumar pai pro filho e ainda quer que o cara com quem ela mal começou a sair arque com a responsabilidade de levar o filho que não é dele em pronto socorro. É de cair o CU da bunda. Duvido que se ela fosse solteira e sem filhos aceitaria um pai solteiro e duvido mais ainda que, nessas circunstâncias, antes mesmo de ficar com o cara aceitaria acompanha-lo no futebol ou num boteco de esquina quando o mesmo fosse encontrar uns amigos pra tomar cerveja... Hipocrisia. Esse é o retrato das mães solteiras. Saiam dessa que é fria, paspalhos! Digo por experiência própria.

      Excluir
  2. Que absurdo, a mulher já foi arrombada por um cafajeste é mãe solteira, nem emprego fixo tem, sai atirando pra tudo que é lado tentando arrumar pai pro filho e ainda quer que o cara com quem ela mal começou a sair arque com a responsabilidade de levar o filho que não é dele em pronto socorro. É de cair o CU da bunda. Duvido que se ela fosse solteira e sem filhos aceitaria um pai solteiro e duvido mais ainda que, nessas circunstâncias, antes mesmo de ficar com o cara aceitaria acompanha-lo no futebol ou num boteco de esquina quando o mesmo fosse encontrar uns amigos pra tomar cerveja... Hipocrisia. Esse é o retrato das mães solteiras. Saiam dessa que é fria, paspalhos! Digo por experiência própria.

    ResponderExcluir
  3. Mulherada vagabunda do caralho!Engravidam mal intencionadas e depois se fazem de vítimas abandonadas. Vão se foder tdas vcs!!

    ResponderExcluir
  4. Ainda não sou mãe, em breve serei e achei o site interessante pela possibilidade de reconhecimento em certas situações que mulheres que têm filhos mesmo sem o apoio de um homem (mais especificamente daquele que contribuiu para a geração dos filhos) invariavelmente têm que enfrentar.

    Contudo, fiquei abismada com o fato de haver homens (ou homem)que têm coragem de postar as ofensas acima nesse site.

    Afinal, falar que a mulher é puta, é isso, é aquilo é fácil, mas botar camisinha ninguém quer. Se está namorando, faz até chantagem sentimental com a mulher pra que ela "por confiança nele", "por amor" ou pelo relacionamento de tempos não use. E aí a mulher é que tem que se encher de hormônio (pílulas) para evitar uma gravidez indesejada porque os bonitões não querem vestir seu "pintinho".

    Agora, o mais estranho é que, pelo que sei,o óvulo não se autofecunda. Então, na hora da "vadiagem" (conforme foi dito acima), os dois curtem e participam. Contudo, na hora do resultado e de arcar com a responsabilidade, só a mulher é a responsável?

    Sinceramente, a mulher pode ser a puta, vagabunda, ordinária que for. Se o homem engravidou, tem mais é que arcar com a responsabilidade! Quem mandou ser "burro", "otário" ou "ingênuo" (que seja... pelo exposta acima) e não se prevenir?

    Óbvio que a situação apontada no post principal a meu ver parece uma atitude um pouco exigente demais para um relacionamento tão recente como é apontado, porém as ofensas postadas pelos outros "anônimos" são absurdas e só reforçam o tipo de sociedade machista e opressora na qual vivemos!

    ResponderExcluir
  5. Sabe o q eu fico mais impressionada...é que ainda tem uns caras por aí que fazem a questão de procurar esse tipo de assunto pra deixar esse tipo de comentário de bosta...
    No minimo o RIDICULO que deixou esse post é um FDP que tbm tem um filho e que não deve nem sequer ligar pra saber se esse anjo tá vivo ou não, se está precisando de algo ou simplesmente de ter uma figura, pra chama de PAI...
    Alowwwwww será que ninguém conseguiu sentir o tom de sarcasmo nessa postagem...gente ACOOOOOOOOOOOOOORDA, nós não queremos (falo pela maioria) alguém que nos sustente e a nossos filhos, só que os homens que se envolvem com nós que temos filhos tem que entender que a nossa prioridade são eles, e não um passeio, um show, uma balada, ou qq coisa do tipo...
    É por culpa de criaturas, pq nem sequer falar de pessoas pode pra esse tipinho aí de cima, que existe tanta mulher no mundo que não quer mais saber de relacionamento e muito menos de ter filho...
    É esse tipo de pensamento mediocre que faz com que nós MÃES SOLTEIRAS, e falo isso com orgulho, passamos diariamente por preconceitos e barreiras, e pq não falar humilhações, desse povo ignorante que não sabe o que a gente passa todo dia...Só vivendo pra saber

    E pra vc seu IDIOTA que escreveu todas essas ofensas se vc for um "pai solteiro" eu só tenho uma coisa pra te dizer: Na hora de virar os olhinhos foi bom, né...camisinha = chupa papel com bala, não é...então agora segura o rojão...
    Além de td é um covarde que nem coloca o nome não coloca...
    Aff...

    ResponderExcluir

Meta a mamadeira!